O tamborete, só paga cinco, óiaa! Ainda serve pra sentar, pra conversar, pra namorar, falar de bem, falar de mal, olhaa!“: esse é o bordão de dona Quinha do Tamborete, como é conhecida essa senhora, que caminha pelas ruas do Recife a vender tamboretes (bancos pequenos) que ela mesma fabrica em sua casa. Ela é moradora da comunidade do Coque, no Recife, e foi descoberta por meio de vídeos publicados no Youtube, de pessoas que a viram com seu carro-de-mão, divulgando seus tamboretes em alto e bom som. Veja o vídeo do projeto Pé na Rua, que a entrevistou em março de 2011.

A Comunidade do Coque é uma das mais estigmatizadas do Recife por motivo dos números de violência urbana e criminalidade. Apesar de breve, a fala de dona Quinha do Tamborete também revela essa faceta da sua comunidade, e como esse estigma marcou sua visão de mundo. O bairro tem sido um laboratório vivo de experiências inovadoras com imagem, audiovisual, histórias de vida e música, no sentido de contestar o estigma.
[+ info]
Localização do Coque na cidade do Recife
• 2007 – 2008: Projeto Coque Vive: investigação sobre o repertório sociohistórico de uma comunidade da periferia do Recife (PE, Brasil)
• 1º de Abril de 2009: Projeto ajuda a requalificar imagem da comunidade do Coque, em Recife

Advertisements